Publicado em 15 de fevereiro de 2013 às 12:30

Senador cobra melhoria no transporte aéreo de passageiros

Em pronunciamento nesta quinta-feira (7), o senador Jorge Viana (PT-AC) cobrou melhorias nas condições de transporte aéreo, ressaltando a dificuldade da população em obter passagens aéreas para viagens longas a preços acessíveis, situação observada principalmente em período de grande movimentação nos aeroportos e feriados.

Jorge Viana contou que desde novembro passado tem tido dificuldades para obter passagem no trecho Brasília-Rio Branco-Brasília, que muitas vezes chega a custar R$ 7 mil. O senador observou que já foram realizadas audiências públicas com os representantes das companhias e autoridades do setor para discutir a desproporção no preço das passagens no Brasil.

Se o país já enfrenta dificuldades no transporte doméstico de passageiros, os problemas poderão ser agravar nos próximos anos, quando sediará a Copa do Mundo e as Olimpíadas.

Jorge Viana salientou, porém, que a melhoria na oferta de assentos deve ser feita em prol sobretudo dos brasileiros, e não dos turistas que virão do exterior, dado o caráter efêmero dos eventos esportivos.

Na avaliação de Jorge Viana, transporte aéreo na Amazônia não é luxo, mas serviço de primeira necessidade, com funcionamento adequado às características da região, marcada pelas grandes distâncias entre as cidades.
O senador ressaltou também que o preço do combustível, item que mais pesa na composição das tarifas, é mais alto nas regiões de menor renda.

Em aparte, a senadora Ana Amélia (PP-RS) lembrou que apresentou um projeto para limitar a 10% a multa cobrada para reembolso de passagem não utilizada. O PLS 24/2012 foi aprovado no Senado em novembro e seguiu para exame da Câmara. Ana Amélia lamentou, porém, que o projeto sofra oposição da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Já o senador Romero Jucá (PMDB-RR) manifestou apoio ao plano do governo de viabilizar apoio à aviação regional, que ele considera fundamental para regiões como a Amazônia, cuja população precisa ter acesso a passagens aéreas a preços acessíveis.

Agência Senado